Saudações.

" Não quero lhe falar meu grande amor; das coisas que aprendi nos discos...
Quero lhe contar como eu vivi; e tudo o que aconteceu comigo (...)"

(Antônio Carlos Belchior- Como nossos pais)

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Telefonema


Espero o telefone tocar, quem sabe é você a me ligar...
Sua voz preciso ouvir antes de durmir, pra em paz sonhar.
As horas passam e canso de esperar, fico aqui com o
silencio imaginando-te falar...
Falar baixinho, devagarinho que comigo vai sempre estar.
E mesmo quando nao estiver, é só esperar um pouco que vai
me ligar.
Assim me prometeu, antes de viajar, mas depois que se foi, muito
diferente voltou, nao entendi o que houve mais sem querem me
magoou.
O tempo passou, e ainda estou a esperar.
Quem sabe é você quem vai falar: Aqui estou a te esperar,
quando o telefone tocar?!

Bjo, me liga. Melissa Prardo

2 comentários:

Debora disse...

até hoje eu espero um telefonema desses.. rsrs

Fernanda disse...

amei esse tbm exo q sei de a quem está se referindo neste texto amiga....
vc tem um talento e tanto....